sexta-feira, 19 de junho de 2009

...Pela criação da lei "Mário do Penho"


Historicamente as mulheres sempre foram marcadas por de atos de violência por parte do macho branco( e do preto também) ocidental dito "civilizado". Essa ideologia que sempre colocou o homem no centro das decisões e das melhores posições sociais (androcentrismo) fazendo com que as mulheres fossem consideradas por muitos séculos afins como "seres humanos de segunda classe" levou à sociedade como um todo discutir a condição social da mulher na perspectiva de uma proposta de sua libertação das amarras do machismo.

O século XX de um modo geral foi marcado por lutas em diversos países pelo fim do machismo e do sexismo em geral, com alguns ganhos pró movimento feminista e percas como o caso de assassinato de mulheres e abusos cometidos no próprio processo da luta em si. Foi criado legislações avançadas e outras, nem tanto assim, na tentativa de coibir os abusos derivados da cultura androcêntrica propagada. O maior exemplo em legislação concreta que temos hoje no Brasil foi a criação da Lei Maria da Penha, que se não resolveu mas pelo menos acalourou o debate acerca da violência doméstica e sexista já se percebe, embora que ainda tímida, a mudança de postura de alguns machos que pensam duas vezes antes de se "bancar à besta".

O que impressiona neste assunto é que em pleno processo emancipatório feminino algumas mulheres estão, ironicamente, herdando o que tem de mais peverso da cultura machista que é agir com violência contra seus respectíveis companheiros na tentativa de fazer valer seus direitos, uma compreensão equivocada de emancipação feminina! Ora na grande impressa em geral vem significativamente aparecendo noticícas, embora que lento, do aumemento violência das mulheres contra seus companheiros vão desde agressões morais à físicas, como nos dois casos de homens em Recife que tiveram seus pênis arrancados por agressão à faca, a doméstica que foi presa por queimar com água quente seu marido , e o último caso que está sendo veiculado em cadeia nacional que é o caso da assissinato à faca no elevador do um prédio de luxo onde viviam, do empresário pela companheira que alega legítima defesa!, mesmo a perícia provando o contrário.

Libertar-se dos preconceitos em geral e sobretudo do machismo é acima de tudo uma questão de educação crítica e humanística! As mulheres só irão verdadeiramente conquistar os espaços que a elas foram negados por muitos séculos se compreenderem que a luta é por novos espaços, novas perspectivas e por uma vedadeira liberdade sexual e isso é uma luta política e social e não um ringue em que quem puder causar mais danos ao companheiro é o que ganha! Ora olho por olho e mais pra frente estaremos cegos! e essa cegueira sexista nos causará prejuízos muito maiores pois nos levará à queda no abismo das relações doentia e este abismo, por sua vez nesta velocidade, está cada vez mais diante de nós.

Nenhum comentário:

Postar um comentário